Estupro lésbico

Com o horrível caso do estupro coletivo do RJ, as feministas, que são quase todas marxistas, do Brasil estão, como de praxe, usando o “cadáver” como garoto propaganda.

As mensagens delas são todas sem proposta alguma: apenas continuam sua meta para promoção do ódio contra os homens, para aprovação de leis patéticas contra os homens como o feminicídio, recém aprovado pelo governo marxista do PT.

É a velha estratégia de promoção de luta entre as classes marxista, em uma nova roupagem.

Como são marxistas, também são obrigadas a defenderem os direitos humanos, razão pela qual são contra a pena de castramento químico do estuprador, que é um Projeto de Lei de Jair Messias Bolsonaro.

Vejamos que contrassenso: fazem passeatas falando que querem a morte dos estupradores, mas quando chega a hora de apoiar Bolsonaro, elas fogem.

Por fim, alguém precisa ensinar a estas leigas que o crime de estupro pode ter como sujeito ativo o homem ou a mulher.

Inclusive, há um famoso documentário que fala exclusivamente de estupros promovidos por lésbicas: “She Stole My Voice.”, o qual mostra como como a comunidade, o poder judiciário e a comunidade lésbica simplesmente ignoram este crime.

 
http://www.amazon.com/She-Stole-Voice-Documentary-Uncensored/dp/B000YEBL64

Editorial Reviews

Product Description

In one of the most important and controversial documentaries of the last five years, filmmakers Justine Chang and Armand Kaye examine a crime that has been ignored, discounted, and even declared impossible. The result of years of research and production, She Stole My Voice: A Documentary About Lesbian Rape is a jarring, terrifying, and eye-opening look at this lesbian rape and sexual violence between women.The film masterfully interweaves community responses, expert analyses, and graphic reenactments to create an absolutely unforgettable experience. Viewers will see the reality and prevalence of this crime, and learn how the community as a whole, law enforcement, and even the lesbian community itself have repeatedly discounted this crime. And in the unforgettable and terrifyingly graphic reenactments of lesbian rape, viewers will begin to truly understand the chilling and horrific experience of actual lesbian rape.

About the Director

Justine Chang is a gay rights activist who has promoted awareness gay issues and women’s issues through film and outreach. Armand Kaye has been involved in several independent films. “She Stole My Voice” is his first feature length documentary.

 

 

 

Rafael é autodidata. Não gosta de normas da ABNT. Não reconhece, nem valida o MEC. Não quer saber da nova ortografia.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>