Hino do ativista arrependido. My Back Pages – Bob Dylan

Com apenas 23 anos, o jovem Bob Dylan, já uma grande celebridade mundial e com nome eternizado no Rock e Folk mundial, teve uma lapso de sinceridade e maturidade e reconheceu que estava no caminho errado e, em seu quarto álbum, lançou uma música  auto-devastadora.https://www.youtube.com/watch?v=Iy55InDzNP8

Para compreende-la é fundamental, antes, conhecer um pouco de sua discografia: já havia feito, em especial no seu segundo e terceiro álbuns, músicas de cunho político como:

The times they are a-changin’,

With God on our side,
Blowin’ in the wind,
Master of War e
Only a pawn in their game.

São músicas de cunho político, mas não necessariamente comunistas.

(Ressaltemos que apesar do cunho político, são inegavelmente de grande qualidade poética, como é típico em sua obra – basicamente foram as que o tornaram uma grande celebridade, um fenônomo do folk-rock, especialmente as 4 primeiras.)

Acredito que foram apropriadas, sem o consentimento, pelo movimento New Left e contracultura, como “hino”.

MAS

Eis que veio a “My Back Pages”, no quarto álbum, uma letra de típica de um idoso em corpo de um jovem:

_______________________________________________________________________

A LETRA e breves análises das estrofes:

(Tradução do Vagalume, levemente revisada por mim, em alguns pontos)

My Back Pages-Bob Dylan 

Minha páginas de passadas – Bob Dylan

Crimson flames tied through my ears
Rollin’ high and mighty traps
Pounced with fire on flaming roads
Using ideas as my maps
“We’ll meet on edges, soon, ” said I
Proud ‘neath heated brow
Ah, but I was so much older then
‘m younger than that now
Chamas púrpuras amarradas através dos meus ouvidos
Deixando fortes e poderosas armadilhas
Atacado por fogo em estradas flamejantes
Usando ideias como meus mapas
“Nos enfrentaremos, logo”, eu disse
Orgulhoso de testa quente
Ah, mas eu era tão mais velho, então
Sou mais novo do que antes, agora
Half-wracked prejudice leaped forth
“Rip down all hate, ” I screamed
Lies that life is black and white
Spoke from my skull. I dreamed
Romantic facts of musketeers
Foundationed deep, somehow
Ah, but I was so much older then
I’m younger than that now
 (Nesta segunda estrofe podemos ver a típica postura do ativista que luta contra o ‘ódio’, bastante presente no movimento negro, que odeia os racistas, LGBT, que odeia os homofóbicos, e feminista, que odeia os estupradores. Podemos ver também que ele tinha uma visão “preto no branco da vida” e tinha uma visão romântica de guerreiros, mosqueteiros…..)
Preconceitos ultrapassados seguiram em frente
“Cortem pela raiz todo o ódio”, eu gritei
Mentiras de que a vida é branca e preta
Ditas da minha caveira, eu sonhei
Histórias românticas de mosqueteiros
Encrustradas fundo, de alguma forma
Ah, mas eu era tão mais velho, então
Sou mais novo do que antes, agora

 

Girls’ faces formed the forward path
From phony jealousy
To memorizing politics
Of ancient history
Flung down by corpse evangelists
Unthought of, though, somehow
Ah, but I was so much older then
I’m younger than that now
Rostos de garotas formaram o caminho a seguir
De invejas falsas
À memorizar pedaços
de história antiga
Forçados por evangelistas antiquados
De quem ninguém fala nada, de alguma forma
Ah, mas eu era tão mais velho, então
Sou mais novo do que antes, agora

 

A self-ordained professor’s tongue
Too serious to fool
Spouted out that liberty
Is just equality in school
“Equality, ” I spoke the word
As if a wedding vow
Ah, but I was so much older then

I’m younger than that now

(Nesta quarta estrofe, vemos Bob Dylan satirizar o fato que ele falava de “Igualdade” como que com emoção e com brilho nos olhos, quase como um voto de casamento. É incrível como há vários defensores do PT que até hoje defendem Dilma com este mesmo brilho nos olhos, pensando que trata-se de justiça social! Sabe de nada, ino!)

Uma língua de um autodidata
Muito sério para gracinhas
Disse que liberdade
É só igualdade na escola
“Igualdade”, eu disse essa palavra
Como um voto de casamento
Ah, mas eu era tão mais velho, então
Sou mais novo do que antes, agora

 

In a soldier’s stance, I aimed my hand
At the mongrel dogs who teach
Fearing not that I’d become my enemy
In the instant that I preach
My existence led by confusion boats
Mutiny from stern to bow
Ah, but I was so much older then
I’m younger than that now
(Nesta quinta estrofe, ele, na posição de um soldado, diz que mirou professores, mas não temia que ele estava se tornando seu próprio inimigo no exato instante em que ele apregoava sua doutrina….. por fim arremata dizendo que está confuso………. de ponta a ponta)
Em posição de soldado, mirei minha mão
Para os cachorros loucos que educam
Sem temer que eu me tornaria meu próprio inimigo
No momento que eu pregasse
Minha existência liderada por barcos de confusão
Motim da popa à proa
Ah, mas eu era tão mais velho, então
Sou mais novo do que antes, agora

 

Yes, my guard stood hard when abstract threats
Too noble to neglect
Deceived me into thinking
I had something to protect
Good and bad, I define these terms
Quite clear, no doubt, somehow
Ah, but I was so much older then
I’m younger than that now
 ( Na estrofe final, a melhor de todas, ele diz que ficou firme em posição de guarda quando ameaças abstratas, muito nobres para serem negligenciadas, o enganaram a pensar que ele tinha algo a defender.
Essas ameaças abstrata são, precisamente, os exageros que o movimento feminista, movimento LGBT, movimento negro e movimento ambientalista fazem: promovem ameaças que na realidade são infinitamente menores na realidade do que nos livros e nas palestras…. acabam despertando em seus militantes um ódio ao ódio imaginário, que usam para dividir a sociedade. Dividir e Conquistar. )
 (Paulo Eduardo Martins demonstrou muito bem, por exemplo, que o número de homicídios de homossexuais é infinitamente mais baixo que um cidadão normal https://www.youtube.com/watch?v=HWiitfycVNQ  )
Sim, minha guarda se manteve firme quando ameaças imaginárias
Muito nobres para negligenciar
Me fizeram pensar
Que eu tinha algo para proteger
Bom e mau, eu defino esses termos
Muito claros, sem dúvidas, de alguma forma
Ah, mas eu era tão mais velho, então
Sou mais novo do que antes, agora


 Conclusão:

Como se vê na penúltima estrofe, ele deixou de ser um ativista e ser utilizado como massa de manobra e partiu para um status de confusão profunda:

“My existence led by confusion boats
Mutiny from stern to bow
Ah, but I was so much older then
I’m younger than that now”

Bem como na segunda, quando deixa claro que acreditava em mentiras que a vida era Preto no Branco.

“Lies that life is black and white

Spoke from my skull.”

Esta é uma postura tipicamente conservadora: não ter a solução para tudo, não considerar os problemas simples, preto no branco, não se considerar um portador das soluções para o mundo, para o que Eric Voegelin chamava de Imanentização do Eschaton, isto é, trazer o paraíso para a terra.

_______________________________________________________________

A conclusão de Bob é semelhante a de Cecília Meireles neste poema:

Não sei distinguir no céu a varias constelações:
não sei os nomes de todos os peixes e flores,
nem dos rios nem das montanhas:
caminho por entre secretas coisas,
a cada lugar em que meus olhos pousam, 
minha boca dirige uma pergunta.
Não sei o nome de todos os habitantes do mundo.
nem verei jamais todos os seus rostos,
embora sejam meus contemporâneos.
Não, não sei, na verdade, como são em corpo e alma
todos os meus amigos e parentes.
Não entendo todas as coisas que dizem,
não compreendo bem de que vivem, como vivem,
como pensam que estão vivendo.
Não me conheço completamente,
só nos espelhos me encontro,
tenho muita pena de mim.
Não penso todos os dias exatamente
do mesmo modo.
As mesmas coisas me parecem a cada instante diversas.
Amo e desamo, sofro e deixo de sofrer,
ao mesmo tempo, nas mesmas circunstâncias.
Aprendo e desaprendo,
esqueço e lembro,
meu Deus, que águas são estas onde vivo,
que ondulam em mim, dentro e fora de mim?
Se dizem meu nome, atendo por habito.
Que nome é o meu?
Ignoro tudo.
Quando alguém diz que sabe alguma coisa,
fico perplexa:
ou estará enganado, ou é um farsante
– ou somente eu ignoro e me ignoro e me ignoro desta maneira?
E os homens combatem pelo que julgam saber.
E eu, que estudo tanto,
inclino a cabeça sem ilusões,
e a minha ignorância enche-me de lágrimas as mãos.
1960 Cecilia Meireles
Rafael é autodidata. Não gosta de normas da ABNT. Não reconhece, nem valida o MEC. Não quer saber da nova ortografia.

Você poderá gostar disso:

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>