O golpe de Marco Aurélio para barrar o impeachment de Dilma

O ministro do STF, Marco Aurélio, proferiu uma “ordem” ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, para que ele aceitasse o pedido de impeachment do vice-presidente (apesar que não haja precedente na história). O curioso não é somente a questão disso nunca ter acontecido ou ser quer fosse possível, como disse Gilmar Mendes, mas sim o fato do Poder Judiciário mais um vez, mas agora de forma autoritária, interferir no em outro Poder Constituído.

Cunha já disse que não acataria tal decisão. Mas depois mudou o tom: “vou recorrer”. Mas aí Marco Aurélio diz: “desobedecer ordem judicial é crime de responsabilidade”.

Bum! Cai no colo de Eduardo Cunha uma bomba capaz, apesar de inconstitucional, de derrubá-lo e barrar de uma vez o impeachment da presidente.

Reitero: House of Cards é para amadores.

Você poderá gostar disso:

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>